Não se esqueça!

.
O Blog Ana e os Bonecos está com novo formato e muitas novidades para vocês!
Não deixem de visitar: basta clicar sobre a imagem abaixo e você será redirecionado.
Ou se preferir, digite www.anaeosbonecos.com.br no seu navegador.
.

O novo Ana e os Bonecos já está no ar! E agora com muito mais espaço e praticidade, e com o uso de ferramentas exclusivas para levar toda o encanto do Teatro de Bonecos até você.
Basta clicar sobre o convite acima e você será direcionado ao novo blog.
Estamos esperando sua visita!

Equipe Ana e os Bonecos



"Belas e lúdicas as ilustrações prendem a atenção e despertam a fantasia que une adultos e crianças." (Bons Fluídos, fev. 2009)



* Acima, lápis de cor e aquarela sobre canson. Analu Alves - 05/2010.



Páginas

.
*Lápis de cor sobre Canson. Início - Festa Junina; Links - Congado; Técnica - Festa do Divino; Mamulengo; Fotos - Bois Caprichoso e Garantido; Agenda - Procissão do Fogaréu.



Ana e os Bonecos - Tradutor

Ana e os Bonecos - Pesquisa

14/03/2010

Clube da Sombra - Parte 2

Boa noite, amigos bonequeiros!
Neste domingo de chuva e calor extremo em BH, repasso a vocês a 2ª parte das dicas sobre teatro de sombras, gentilmente enviadas por Alexandre Fávero do Clube da Sombra. O material é muito rico. Vale a pena ler e estudar. E pesquisar e experimentar mais... sempre!

Saudações bonequeiras!
Analu.

Dicas para trabalhar no escuro

-Vista roupa neutra, se possível preta. Isso evita que as luzes rebatam nas cores claras e sejam prejudiciais à qualidade do escuro e respectivamente ao resultado das projeções. As roupas não devem prejudicar a liberdade de movimentos e ao mesmo tempo devem ser ajustadas ao corpo. Durante as atividades no escuro evite usar acessórios como relógios, brincos de argola, gargantilhas, cintos, bonés ou qualquer objeto nos bolsos. Isso evita acidentes e distrações desnecessárias. Diferentemente dos figurinos de cena, deve-se evitar mangas, rendas ou franjas soltas que possam enroscar em objetos e ocasionar acidentes. Posteriormente, nos ensaios mais técnicos, esses elementos mais expressivos podem fazer parte da cena e colaborar artisticamente.

-Sempre utilize calçado fechado, confortável e de solado macio. É importante os pés sentirem o relevo do piso, algum objeto e outras informações táteis, porém, o pé no chão, desprotegido, fica desconfortável ao frio e suscetível a pequenas lesões, seja por farpas dos pisos de madeira, pontas de pregos, grampos ou qualquer outro material deixado inadvertidamente no local de atuação. O fator mais importante é que o pé sem um isolamento adequado cria aterramento e por sua vez, choques elétricos perigosos. Em grande parte dos acidentes, as roupas e o calçado são responsáveis pelo contato do corpo com a eletricidade. O calçado seco e isolado pode evitar um acidente. Pelo contrário, pés descalços ou ambiente úmido preparam o caminho para um acidente. Sinta-se seguro e promova a segurança no momento de preparar e usar o espaço de atuação.

-Avalie minuciosamente o espaço com luzes ligadas. Procure analisar o local com um olhar investigativo, como se procurasse algo escondido. Muitas vezes a mudança do ponto de vista revela perigos ocultos e situações de risco de acidente. Dê atenção ao piso, observando através de um olhar rente ao chão para verificar se existe algum objeto que ofereça risco de ferimento. Palcos em teatros mais antigos e sem manutenção geralmente possuem grampos, pregos, farpas e outros resíduos de cenários ou produções que por ali passaram. Verifique as condições de uso e a voltagem das tomadas antes de ligar qualquer aparelho. Certifique-se onde estão os extintores de incêndio, as saídas de emergência, a situação dos pontos de luz, o quadro de comando e a situação das chaves e disjuntores. Estes procedimentos revelam exatamente onde estamos e os riscos que corremos. A prevenção aos riscos de acidentes é fundamental ao se trabalhar no escuro ou no claro! Depois desse procedimento técnico, reconheça o espaço no escuro. Isso evita outras surpresas na hora das experiências ou apresentações. Muitas vezes um inocente e despercebido vidro quebrado ou furo na telha pode se transformar em um raio luminoso indesejado. Não deixe escapar nada! A escuridão é a matéria-prima de um teatro de sombras de qualidade.

 -Memorize todos os elementos espaciais e organize minuciosamente todos os elementos de cena. Isso ajuda na dinâmica das experiências e no conforto cênico durante a realização de um espetáculo.

-Não esqueça:

Verifique os pontos de risco, as tomadas, os interruptores, as portas, os quadros de força e se possível, a existência e condição de extintores. A segurança dos artistas e do público em primeiro lugar!

A postura corporal do sombrista

Alongue-se antes dos exercícios dinâmicos.

-É fundamental uma boa consciência corporal para qualquer ator de teatro. No teatro de sombras a expressividade corporal é uma ferramenta importante dentro e fora da cena. O sombrista pode usar o corpo para perceber o espaço escuro, para projetar sombras, para manipular objetos, para neutralizar suas intenções e emoções, para se deslocar silenciosamente, para dissociar movimentos e outras diferentes possibilidades a serem desenvolvidas.

-Além de o corpo ser por si só a estrutura dos personagens e o ponto de partida para a ação nas cenas criadas pelo ator sombrista, os membros inferiores, as suas partes, as suas combinações e as diferentes posições projetadas também pode servir como cenários, molduras e formas expressivas para compor uma cena. Enquanto estiver em cena, mantenha uma postura elegante e leve e observe todos os detalhes.

Dicas para trabalhar com a sombra

-Não perca a sua própria e as demais sombras de vista. Isso vale para projeções de objetos, figuras e silhuetas.

-Amplie ao máximo a visão periférica e exercite o olhar oblíquo, de canto de olho. Não é necessário olhar diretamente para a sombra, mas, é fundamental tê-la a vista!

-Diferencie liberdade criativa e rigor técnico durante as brincadeiras, nos jogos, na criação de cena, na improvisação, na marcação e na direção. Cada momento exige um nível de atenção diferente. Saiba aproveitar ao máximo!

-A sombra corporal necessita de telas e espaços grandes. As sombras podem ser comparadas com os animais, quando apertadas, ficam tímidas e desobedientes!

-Utilize e exercite a voz como ferramenta expressiva durante a atuação. As sombras falam e cantam através do nosso corpo. Ajude-as!

-Concentre-se sem tencionar o corpo e encontre o conforto físico durante a atuação. O público percebe claramente quando as sombras não estão à vontade.

-Tenha vigor, energia e potência sem perder a elegância, leveza e sutileza nos movimentos. As sombras devem fluir como um poema declamado.

-Seja econômico na aplicação da energia cênica. A cena dramática exige fôlego para ter continuidade.

-Atue com objetividade e ritmo na cena. Precisão e rapidez fora de cena.

-Simplicidade antes da complexidade torna a informação mais clara. Comece com o óbvio e desdobre-o em surpreendente.

-Vá direto ao objetivo e não abuse de efeitos. O mais difícil é ter a história, depois disso, os suplementos da cena fazem mais sentido.

-Quando as projeções são dirigidas ao público, as sugestões podem funcionar melhor do que diversas intenções experimentadas e discutidas nos ensaios.

-Nas experimentações contracene com o foco de luz, utilize conscientemente o espaço, simplifique as idéias e amplie a expressividade da sombra. A potência dessa arte está ligada ao simbolismo e às metáforas mais universais.

-Registre em texto, desenho, foto ou vídeo as idéias e sensações. A experiência necessita de planejamento, objetividade, observação e avaliação dos resultados.

Dicas para construir e movimentar figuras

-seja claro na idéia, na forma e avalie o resultado projetado.

-toda figura criada, desenhada, recortada deve ser submetida a uma avaliação na luz, pois a projeção da sombra é que indica as correções necessárias.

-figuras excessivamente incrementadas, com recortes complicados e confusos enfraquecem a estrutura e a estética.

-telas, figuras e espaço físico têm uma relação de proporção e tamanho.

-as referências de livros, ilustrações, fotos ajudam a descobrir a escala natural de uma figura.

-a estética da figura pode ser geométrica, realista, estilizada, minimalista, expressionista ou qualquer outra variante.

-a ação que o personagem realiza em cena é a principal característica para definir sua construção, material, tamanho, articulações, mecanismos ou qualquer outro recurso expressivo.

-a vareta da silhueta não é fundamental para uma eficiente manipulação, portanto, pode ser suprimida ou considerada como o último elemento da construção.

-poucos mecanismos, peças móveis e articulações facilitam a manipulação.

-ações simples necessitam de silhuetas simples e o inverso pode não ser proporcional a essa afirmativa.

-uma ação será definida pelo tempo de leitura necessária ao seu entendimento.

-um protótipo da figura assegura resultados e economiza material.
Related Posts with Thumbnails

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por visitar Analu e os Bonecos e deixar um comentário. O seu comentário será lido, comentado e publicado. Inté breve!
Analu.

 
BlogBlogs.Com.Br